Brasileiros cumprem quarentena em Guayaquil para a Copa de Marcha

A seleção brasileira que participará da Copa Pan-Americana de Marcha Atlética, na sexta-feira (7/5), está em Guayaquil, no Equador, desde o dia 27 de abril. A delegação, formada por 15 atletas, mais os integrantes da comissão técnica, está cumprindo quarentena de 10 dias, imposta pelas autoridades sanitárias do país por causa da pandemia da COVID-19 no Brasil.

Até quinta-feira (6/5), os integrantes da equipe só podem sair do hotel para treinar, uma vez por dia e por duas horas, no Estádio Modelo Alberto Spencer, o mesmo utilizado pelo time de futebol do Barcelona de Guayaquil. São exigidos os protocolos normais como o uso de máscaras, medição de temperatura e uso de álcool em gel, além do exame PCR.

A competição inicialmente seria disputada em dois dias, mas os finais de semana foram declarados de estado de lockdown, com toque de recolher. Assim, os organizadores resolveram cumprir o programa-horário todo na sexta-feira.

“Estamos no confinamento. Isolamento total, tipo Big Brother. Somos a única equipe em quarentena”, lembrou a treinadora-chefe Gianetti Bonfim. “O governo nos reservou um hostel simples. A administração compra marmita para a gente. Às vezes, cozinhamos. A gente faz tudo isso por muito amor ao esporte.”

Gianetti, mãe de Caio Bonfim, medalha de bronze nos 20 km do Mundial de Londres-2017, está otimista quanto à participação brasileira, apesar de todas as restrições. “Acredito em bons resultados. Com certeza, vamos conseguir medalhas, embora a competição seja muito forte, porque as Américas têm grandes marchadores.”

O confinamento está sendo encarado como um desafio a mais para quem faz marcha atlética, segundo Gianetti. “Nossa modalidade tem evoluído bem, tem crescido, com o surgimento de atletas em várias regiões do País, mas nada é fácil”.

Com destaque para Caio Bonfim, 15 brasileiros foram chamados com base nos resultados da Copa Brasil de Marcha Atlética, disputada no dia 14 de março, em Bragança Paulista.

A competição será mais uma oportunidade de os atletas brasileiros tentarem os índices para os Jogos Olímpicos de Tóquio-2021 e para o Mundial Sub-20 de Nairóbi, no Quênia.

Além de Gianetti Bonfim, a delegação tem os treinadores Diogo Dias Gamboa (SC), Cisiane Dutra Lopes (PE) e Luís Paulo Porto (RJ. Também fazem parte da equipe o médico Rodrigo Morette Arantes (SP), a fisioterapeuta Sheyla Souza Alves Oechsler (SC) e o delegado da CBAt Aércio Silva de Oliveira.

Os atletas em Guayaquil são os seguintes:

20 km masculino
Caio Bonfim (CASO-DF)
Matheus Gabriel Correa (AABLU-SC)
Lucas Mazzo (CASO-DF)

20 km feminino
Emily Pistor (UCA-SC)
Elianay Barbosa (CASO-DF)

50 km masculino
Max Batista dos Santos (CASO-DF)
José Alessandro Bagio (FME Timbó-SC)
Rudney Dias Nogueira (UCA-SC)

35 km feminino
Paula Raissa Paz (Sport Clube Recife-PE)
Elisangela Pereira da Silva (Projeto Atletismo Campeão-PE)
Viviane Santana Lyra (AEFV-RJ)

10 km Sub-20 masculino
Heron Rodrigues Miranda (Balneário Camboriú-SC)

10 km sub-20 feminino
Gabriela de Souza Muniz (CASO-DF)
Gabrielly Cristina dos Santos (PM Colombo-PR)
Bruna Batista de Oliveira (AABLU-SC)

(fonte: http://www.cbat.org.br/novo/noticias/noticia.aspx?id=29634)

0 Avaliações

Escreva a avaliação

casoatletismo

Ler anterior

Caio Bonfim bate recorde em pista e ratifica índice olímpico na marcha atlética

Read Next

ATLETAS DO CASO DISPUTAM A COPA PAN-AMERICANA DE MARCHA ATLÉTICA

Deixe sua resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *